terça-feira, 28 de abril de 2009

Voando …





Sentada no chão de pedra
Tracejo um sorriso na areia

Agarro um balão que passa
E deixo – me levitar
Sob o laranja – musgo dos telhados
Que, agora, me parecem tão distantes …

O vento beija – me a face traquina
Afaga – me a roupa desfraldada
Colorida de risos
Salpicada de sensações

Sinto cócegas nos meus pés descalços
O cordel foge – me, lentamente, das mãos frágeis de criança

Rebelde
Sonhadora
Audaz

Aproxima – se uma montanha
Salto, destemida, para o seu topo

E enquanto me despeço do meu balão imaginário
Abro sorrateiramente o portão do jardim
E sento – me à soleira da porta

Fitando o azul do céu …

27 de Abril de 2009
Carla Alves ©


Fotografia – Cinda Miranda ©

4 comentários:

Elcio Tuiribepi disse...

Tem pessoas que custam a postar, mas quando o fazem, deixam bonitos poemas...

"As reticências são os três primeiros passos do pensamento que continua por conta própria o seu caminho." Autor: (Mário Quintana) ...

Ótima semana para você...bjo...um abraço na alma...

Margarida Piloto Garcia disse...

Belo poema de um quotidiano miraculoso devido à bela embalagem poética.
Quero mais.
Um beijo.

Goddess Night disse...

...admirando o que é real e belo, depois de poetizar, digo eu...

Mais um dos teus encantadores vôos.

Beijos e bom fds.

Nuno de Sousa disse...

Lindo... e voa rapariga, voa até onde queres, e que possas sim ser feliz...
Quero-te bem.
Bjs grandes deste amigo
Nuno