sábado, 21 de março de 2009

Emoções …


Avisto, ao longe, um campo de girassóis
Quanta cor
Quanta beleza
Disparam na minha memória
A recordação de ti

Uma lágrima rola
E depois outra
Após outra
Após outra

Tento, em vão, demover este dilúvio
De dor
Que, momentâneo, avivou em mim
Emoções que julgava perdidas
Na memória do tempo

Fito, perdida, o horizonte de cor
E por entre os girassóis
Corro
Feliz
Atrás das borboletas
Que,
Coloridas,
Me devolvem o sorriso
Bebendo da minha aveludada face
As lágrimas que, incessantemente, rolam

E, na leveza do seu bailado,
Apago, por breves instantes,
A minha dor.


Carla Alves ©
14 de Março de 2009

4 comentários:

Elcio Tuiribepi disse...

Pois é Carla, de tanto rodopiar estou até tonto...rs...mas firme em meu propósito embora super cansado...vamos que vamos...
Poema de questionamentose alguma dor, ou toda...belas palavras...
Uma Feliz Páscoa...um abraço na alma...obrigado pela presença lá no verseiro...

Nuno de Sousa disse...

Venha mai ssorrisos desse lado, alegria é preciso, mas embora seja um poema triste é um poema de uma grande beleza cheio de sentimento e algo que se calhar se esconde pelo meio de tuas palavras... espero em breve ver esse sorriso... o sola anda ai :-)
Bjs grandes amiga e uma Páscoa feliz
Nuno

Nilson Barcelli disse...

Cara amiga, este teu poema é lindo.
É de uma beleza edílica, apesar da tristeza de algumas palavras/sentimentos.
Mas tudo se há-de compor... tenho a certeza que vais escrever poemas onde a felicidade esteja muito mais presente.
Beijo.

Helena Paixão disse...

Um poema triste e lindo ao mesmo tempo, sobre um amor sofrido... e findo?

Espero que, embora escrito na 1ª pessoa, não seja da 1ª pessoa.

Bjocas grandes e bom fds