sábado, 22 de agosto de 2009

Recordação …



Guardo na memória esse instante

Que o tempo vorazmente me roubou

Fecho os olhos e relembro

A cor dos teus olhos


Azul

Cristalino

Esplendor


Quisera o tempo apagar-te

Da memória do meu ser

Mas, quis o destino guardar-te

Para sempre


Azul

Sofrido

Infinito

Amor



21 de Agosto de 2009

Carla Alves ©

6 comentários:

Elcio Tuiribepi disse...

Oi Carla...interesante essa relação com a cor azul, sei lá, também uso-a bastante em meus poemas...eita que o azul sofrido deve ser um azul cheio de nuances e tons...um abraço na alma...
Fica bem...bom fim de semana

Margarida Piloto Garcia disse...

A memória de um olhar pode ser uma marca inesquecível.
Beijinho Carla.

Principe Encantado disse...

Adorei sei blog, parabéns, se for de seu interesse podemos trocar nossos links.
Quero, um dia, poder dizer às pessoas que nada foi em vão... que o AMOR existe, que vale a pena se doar às amizades a às pessoas, que a vida é bela sim, e que eu sempre dei o melhor de mim... e que valeu a pena!
Abraços forte. Te aguardo

Elcio Tuiribepi disse...

Oi Carla...eu sei, as vezes o tempo nos consome, eu no inicio do mes que vem vou estar também enrolado com as provas, em compensação estarei de férias do trabalho...Aff...pelo menos isso...
Um fim de semana com tudo muito azul para você...um abraço na alma...some não...rs

Goddess Night disse...

As memórias e os sonhos são ambos a cores!
Sempre singelos os teus poemas.

Beijinho grande,Carla.

Ana Paula disse...

Nunca nos esqueçeremos de um grande amor mesmo que existam mil depois desse...
Lindo poema.
Beijinho